<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=680782996107910&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

O que é turnover e como diminuir essa taxa na empresa?

4 min de leitura

Publicado em 10/01/18

Muitos profissionais, sobretudo os de RH, tem se perguntado o que é turnover e como diminuir essa taxa na empresa. Esse termo tem estado na pauta do dia devido à constante modernização e transformação no mundo do trabalho, bem como nos processos de seleção e recrutamento.

Turnover é nada mais que a taxa de entrada e saída de funcionários de uma empresa, ou seja, o quão elevada ou controlada está a rotatividade em uma determinada organização.

Ela é calculada pela quantidade de funcionários que entraram e saíram, tendo como base o último dia do mês. Em seguida, o total é dividido por dois e multiplicado por cem, a fim de se obter a porcentagem. Quanto mais alta, pior está o turnover.

Entender a dinâmica disso é essencial para se obter estabilidade e sustentabilidade nos negócios. Continue lendo e aprenda o que fazer para conseguir isso!

1. Criar um plano de carreira

A incerteza sobre o futuro é algo que incomoda os profissionais mais comprometidos, já que eles não sabem quando ou como ascender dentro da empresa. Criar um plano de carreira que seja de fácil entendimento a todos e que possa estar acessível a cada funcionário é essencial para deixar claro que o mérito pelo trabalho bem desempenhado é recompensado pela empresa.

Por mais atrativo que um cargo seja, nenhum profissional que busca crescimento aceitará ficar nele por muito tempo se não oferecer perspectivas de melhoria, tanto financeiramente quanto na forma de trabalhar.

Um plano de carreira traz essa motivação, além de servir como um desafio positivo para os colaboradores alcançarem o melhor que podem e seguirem crescendo juntos com a empresa. Essa é uma ótima forma de reter talentos.

2. Investir no treinamento dos funcionários

Tudo o que for feito pela diminuição da taxa de turnover dentro da sua empresa é, na verdade, uma via de mão dupla: ao criar condições para a permanência e crescimento dos funcionários, a corporação como um todo também se beneficia.

Nos mais variados níveis, profissionais despreparados podem gerar desgastes desnecessários para a empresa. Seja em um call center, com um atendimento ruim e informações insuficientes, ou mesmo em um cargo de gerência, com um líder que não sabe impulsionar o melhor de seus colaboradores.

Capacitar os funcionários da melhor forma para suas funções é uma excelente maneira de demonstrar que você se preocupa com o crescimento deles, garantindo o pleno funcionamento da empresa.

Entenda que, cuidando de uma ponta, você estará fortalecendo a outra. Afinal, empresas são feitas de pessoas e elas precisam estar preparadas para cuidar dos negócios.

3. Dar feedbacks construtivos

Hoje, fala-se muito em colaboração e autonomia no ambiente de trabalho. Ambas as situações devem ser vistas com cuidado e sabedoria, já que o contato entre os profissionais diversos, bem como as suas independências, devem seguir critérios mínimos para não se tornarem uma grande confusão no fim das contas.

Incentive uma cultura organizacional, baseada no constante contato entre superiores e colaboradores, não para vigiar ou criar um clima de constante pressão, mas, sim, para acompanhar o desenvolvimento do trabalho e atingir os melhores resultados.

Quando as ações e as expectativas de chefes e funcionários estão alinhadas, o trabalho flui melhor e fica mais fácil delegar responsabilidades, bem como reconhecer quando um trabalho é bem feito, ou dar um feedback construtivo quando algo não sai como o esperado. Pense nisso!

4. Trabalhar o clima organizacional

O clima organizacional tem muito a ver com a maneira como os profissionais se sentem no ambiente de trabalho. Algumas empresas, como as startups, por exemplo, costumam operar em um sistema mais autogestionado e deliberado, se comparado a empresas maiores com um formato hierárquico mais rígido e tradicional.

Não existe certo ou errado nesse caso. Tudo depende do perfil da empresa e dos profissionais que trabalham nela. Para funcionários mais jovens, por exemplo, um emprego com formato engessado pode levá-los a desistência rapidamente, aumentando o turnover da empresa.

Por isso, é importante desenvolver um culture code bem definido, para poder ter clareza sobre o perfil profissional buscado pela empresa.

5. Possuir um culture code bem definido

O termo em inglês culture code nada mais é do que um código que define os princípios da cultura organizacional da empresa. Vale destacar que cultura é diferente de clima quando estamos falando em gestão corporativa.

O culture code não precisa ter uma linguagem extremamente formal, muito menos inacessível. Todos precisam saber, de maneira suave, os valores e práticas da empresa. Na verdade, necessita-se, basicamente, de uma mensagem direta e envolvente, que permite a identificação automática pelos funcionários.

Além disso, esse recurso pode ser amplamente divulgado, a fim de atingir os clientes e agregar ainda mais valor à empresa, gerando maior confiabilidade. Abaixo, demonstramos um exemplo fictício de um culture code de sucesso. Confira!

Na nossa empresa, valorizamos pessoas, pois são elas que cuidam dos negócios. Sendo assim, somos guiados pelos seguintes princípios:

  1. autonomia: todos podem se desenvolver e contribuir para um ambiente de trabalho mais eficaz e descomplicado;
  2. respeito: acreditamos que tudo pode ser resolvido por meio do diálogo e do entendimento de quaisquer dificuldades enfrentadas pelo colaborador;
  3. inovação: ninguém deseja se sentir preso a uma velha forma de trabalhar. Estamos sempre abertos a novos processos e ferramentas que otimizem nosso tempo e qualidade de vida;
  4. flexibilidade: entendemos que a entrega de bons resultados nem sempre está relacionada com o número de horas trabalhadas. Somos abertos a negociações de horários e locais de trabalho;
  5. crescimento: entendemos que o crescimento profissional e pessoal dos funcionários significa o crescimento da nossa empresa;

Se você seguir modelos de culture code como esse no momento da seleção e recrutamento de novos funcionários, é certo que as chances de manter quem realmente se identifica com a empresa é muito maior!

6. Oferecer vantagens competitivas

As transformações digitais têm impactado o mundo do trabalho. Seja pelas novas profissões que tem surgido ou pelas novas formas de trabalho, são muitas as vantagens competitivas que sua empresa pode oferecer no mercado para reter talentos. Algumas vantagens são:

  • premiações: procure estabelecer uma política de premiações de acordo com o desempenho de cada funcionário, como viagens, mais dias de férias ou até aumentos salariais, dependendo da situação;
  • flexibilidade: será cada vez mais difícil manter bons profissionais com uma estrutura muito rígida de trabalho. A internet é uma excelente estratégia que propicia a execução do trabalho fora de um escritório, por exemplo;
  • plano de carreira: já explicamos esse ponto em outro tópico, mas vale lembrar que isso também é uma vantagem competitiva se bem executado.

Essas são dicas que vão ajudar a sua empresa a se destacar em meio a concorrência, promovendo uma melhora no ambiente organizacional, além de aumentar a satisfação e a produtividade de quem trabalha com você.

Se gostou de saber o que é turnover e como diminuir essa taxa na sua empresa, não deixe de assinar a nossa newsletter. Sempre temos o melhor conteúdo sobre o mercado de trabalho para você!

Deixar comentário