<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=680782996107910&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Quais são as áreas com maior índice de turnover?

5 min de leitura

Publicado em 09/11/20

Atualizado em Setembro 27, 2021

Independentemente do porte ou ramo de atuação, nenhuma empresa lida bem com o alto índice de turnover. Essa rotatividade prejudica os níveis de produtividade da operação, o que impacta diretamente a rentabilidade do negócio. Para o trabalhador, também há prejuízo, considerando que esse tipo de troca pode interromper o seu processo de qualificação profissional.

O primeiro passo para minimizar esse tipo de problema é detectar os fatores que têm determinado essa situação e, a partir daí, desenvolver ações específicas para retenção de colaboradores.

Interessado em saber mais sobre o assunto? Então, continue a leitura deste post. Vamos indicar quais áreas estão mais sujeitas a registrar alto turnover e, na sequência, explicar as medidas que podem ser adotadas pela sua empresa para minimizar as dificuldades. Vamos lá?

Quais áreas apresentam altos índices de turnover?

De acordo com um recente levantamento recente da Agência Mercer, com com 680 empresas, abrangendo mais de 780 mil profissionais em 24 mil posições diferentes no país, houve aumento gradual do turnover voluntário. Em 2019, as demissões voluntárias subiram para 4% entre os cargos mais altos, com destaque para o nível gerencial, que saltou de 3% para 7%, e para 9% entre as posições operacionais.

A seguir estão algumas das áreas mais propensas a ter altos níveis de turnover:

Construção civil

No dia a dia das empresas, é fácil constatar que a maioria registra níveis de turnover mais altos nas tarefas mais operacionais. E, pela natureza da atividade exercida, alguns setores acabam sendo mais impactados por esse tipo de problema. É o caso da construção civil.

Nesse caso, os projetos das construtoras são temporários e a maioria tem dificuldades para realocar os colaboradores. A questão da instabilidade também leva os funcionários a não pensar duas vezes ao receberem outras propostas de trabalho.

Agropecuário

A situação da área agropecuária é similar à encontrada na construção civil. Como os contratantes levam em consideração os períodos de plantio e colheita, a rotatividade de mão de obra é alta no setor.

Telemarketing

Reconhecido por gerar oportunidades de emprego para quem não tem experiência, o setor de telemarketing também apresenta altas taxas de rotatividade. Um fator que influencia bastante nessa história é o perfil dos profissionais que atuam na área. A maioria é jovem e está vivendo sua primeira experiência no ambiente corporativo.

Ainda é preciso considerar nessa equação que existem muitas empresas terceirizadas nessa área. Se a empresa para a qual prestam serviços encerra o contrato, a mão de obra dedicada àquela conta vai ser dispensada.

Vendas

Considerando que uma boa área comercial faz a diferença em qualquer empresa, não é nada bom vermos que os profissionais de vendas ainda figuram entre os que têm dificuldades para permanecer nas empresas por mais tempo.

O alto índice de turnover nessa atividade geralmente está vinculado à questão dos resultados. Como a pessoa é remunerada de acordo com o seu desempenho, ela, provavelmente, não pensará duas vezes se tiver a chance de aumentar sua renda em outro lugar.

Outra questão que acaba pesando na decisão é a pressão, principalmente se o colaborador entende que a empresa não cumpre a sua parte. Isso acontece, por exemplo, quando não há investimento em treinamento ou em planos de carreira mais estruturados.

Varejo

Uma das reclamações recorrentes entre os varejistas é a falta de comprometimento das equipes com as atividades. Pesa nesse caso o fato de a área atrair pessoas mais jovens e que consideram o trabalho atual como uma “passagem”. Da parte das empresas, há mais dificuldade na oferta de benefícios que possam reverter essa situação, uma vez que as margens de lucro das operações não costumam ser muito altas.

Serviços

No segmento de serviços, é difícil indicar um único setor que seja mais impactado pelo alto turnover. É mais fácil falar sobre as atividades. Destacam-se, por exemplo, as relacionadas a apoiar as atividades-fim da empresa.

Geralmente terceirizados, entram aí serviços de limpeza, vigilância e até áreas mais complexas, como a de TI. Nesses casos, além dos custos decorrentes da demissão (seja ela motivada pela empresa, seja pelo funcionário), o desligamento influencia diretamente a produtividade.

Não há milagre: o novo colaborador precisa passar por treinamentos antes de executar bem as tarefas e precisa de tempo para pegar o ritmo do trabalho, assim como se adaptar às particularidades de cada empresa.

Como diminuir a rotatividade dos funcionários?

Mesmo em áreas mais críticas, há diversas iniciativas que podem ser adotadas pelas empresas para manter os colaboradores mais motivados e, consequentemente, satisfeitos com a operação para a qual trabalham, o que é determinante para seu tempo de permanência na organização.

Clima organizacional

Quem trabalha com gestão de pessoas sabe que, a despeito da importância das políticas de remuneração, isoladamente, elas não são suficientes para assegurar a motivação do funcionário.

Principalmente no caso na mão de obra mais qualificada, pesa bastante na decisão de continuar na empresa o fato de a companhia oferecer um bom clima organizacional. Para isso, por exemplo, é decisivo que a empresa proporcione condições adequadas para o exercício das atividades.

Outra questão que deve ser levada em conta é a importância dos planos de carreira. A ascensão profissional é um aspecto considerado como prioritário para os cargos de liderança e a falta de clareza sobre os projetos desse tipo podem fazer muita diferença na decisão do colaborador.

Processos seletivos adequados

Nem sempre tratados com a devida atenção, os processos de recrutamento e seleção têm grande influência na redução do turnover. Quanto mais atenção conferir a essa etapa, maiores as chances de a empresa contratar as pessoas certas para aquela função.

Essa é uma questão importante não apenas para as atividades estratégicas, mas também para os operacionais. Entender as competências do candidato é crucial. Porém, é preciso compreender o que está por trás do seu interesse naquela vaga.

Se o posto vai ser ocupado por um jovem ainda sem experiência, é necessário avaliar se ele está interessado nos aprendizados que vai adquirir, se pensa na empresa no longo prazo. Nesse caso, além das questões técnicas, precisa ser considerada pelo recrutador a análise das suas características comportamentais.

Para as atividades mais operacionais, uma boa forma de direcionar melhor o processo de seleção é considerar a proximidade entre o local de trabalho com a residência do candidato. Nos grandes centros, a perda de tempo na locomoção interfere bastante na decisão do colaborador.

Investimento em treinamento

Para minimizar as dificuldades enfrentadas nos setores de vendas, telemarketing, varejo e serviço, a recomendação é investir em treinamento. Além de melhorar o nível de produtividade da equipe, eles funcionam também para aumentar o comprometimento da pessoa em relação à organização.

Como você viu, há medidas que podem ser adotadas para reduzir os desligamentos na empresa. Fique atento: com a expectativa de melhores condições para a economia, fato esperado pelos economistas para 2018, o índice de turnover pode voltar a crescer, exigindo mais atenção das empresas.

Gostou do artigo? Interessado em mais dicas sobre gestão de pessoas? Assine a nossa newsletter e tenha acesso a conteúdos exclusivos sobre o assunto.

Deixar comentário