<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=680782996107910&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Mercado de trabalho no Brasil e no mundo: perspectivas para 2018

4 min de leitura

Publicado em 18/01/18

Como muito ouvimos falar nas manchetes de todos os veículos de comunicação do país, os resultados da crise econômica, que teve início em 2014, atingiram o Brasil de maneira significativa durante o ano de 2017.

Agravada pelo cenário político, em um contexto de instabilidade no governo, e pelos desdobramentos que essa esfera gera sobre a economia do país, os empresários estiveram receosos sobre o mercado brasileiro, retraindo os investimentos no país.

Consequentemente, o mercado de trabalho também sentiu os impactos desse cenário. Com altas taxas de desemprego, quem esteve procurando por trabalho em 2017 pode ter enfrentado uma missão difícil. Porém, os dados para 2018 apresentam perspectivas mais animadoras para quem está em busca de uma oportunidade.

Confira neste artigo quais são as perspectivas para o mercado de trabalho no Brasil e no mundo para o ano de 2018 — além de algumas dicas certeiras para sair na frente!

Quais são as expectativas do mercado de trabalho no Brasil para 2018?

Segundo dados da Pesquisa de Expectativa de Emprego para o primeiro trimestre de 2018, os empresários brasileiros revelam intenções de contratações estáveis para este período. Enquanto 72% não esperam alterações nos níveis de contratação, 13% deles preveem aumento, frente a 8% de previsão de diminuição, resultando em uma expectativa líquida de emprego de +5%.

Estes são sinais mais claros de que o mercado de trabalho está começando a se recuperar. Quando comparadas as expectativas de contratação deste trimestre com o mesmo trimestre do ano anterior, é possível notar uma melhora de 13 pontos percentuais.

Comparativo por porte e região

Classificados na pesquisa entre microempresas (menos de 10 funcionários), pequenas empresas (entre 10 e 49 funcionários), médias empresas (entre 50 e 249 funcionários) e grandes empresas (250 ou mais funcionários), foi possível traçar uma comparação entre os portes dos empreendimentos para identificar qual deles tende a oferecer mais oportunidades no período previsto.

O resultado revela que as grandes e médias empresas são as que estão mais otimistas com relação às expectativas de contratação, indicando uma expectativa líquida de +16% e +8%, respectivamente. Já os empregadores das pequenas e microempresas não estão tão otimistas assim: -1% e -3%.

Quando agrupados por região, empregadores de quatro das cinco regiões do país esperam aumentar as contratações durante o trimestre, com expectativa de contratação mais forte no estado de Minas Gerais, seguido por Paraná e São Paulo.

Comparativo por setor

Sete dos oito setores da Pesquisa indicaram intenções de contratação otimistas para o primeiro semestre de 2018, com perspectivas positivas mais fortes no setor industrial, que apresentou expectativa líquida de emprego de +13%.

Quando comparadas com as intenções de contratação do trimestre anterior, o período apresenta resultados positivos em três dos oito setores analisados. Já quando comparadas as expectativas deste trimestre com o mesmo período do ano anterior, o avanço se estende aos oito setores.

E nos outros países, o que esperar?

Na maior parte dos países, as previsões melhoraram ou permaneceram estáveis. Para o primeiro trimestre de 2018, as expectativas são, de maneira geral, positivas para empregadores de 41 dos 43 países listados pela pesquisa, com níveis variados de crescimento para os próximos três meses.

Quais são as profissões em alta no Brasil em 2018?

Além de desenvolver algumas habilidades específicas, uma das dicas para competir no mercado é apostar em áreas que estão em ascensão e apresentam mais oportunidades. Sabemos que nem sempre é possível ou desejável mudar de área. Entretanto, dá para fazer especializações em nichos específicos que se apresentam como promissores para o próximo período.

De forma geral, o mercado tem buscado cada vez mais por profissionais inovadores, que saibam atuar e se relacionar no ambiente digital e que sejam capazes de trabalhar de forma integrada com as demais áreas. Ser capaz de desenvolver constantemente novos conhecimentos que possam agregar no desempenho de suas atividades também é um diferencial.

As profissões em alta para 2018 refletem um movimento das empresas de retomar a expansão de seus mercados, saindo um pouco da lógica dos últimos anos, de operar na maior capacidade com o menor custo. O cenário, portanto, é de pressão para todas as áreas que mantenham relação próxima ao cliente, devido à disputa acirrada.

Nesse contexto, os profissionais de RH passam a ser vistos com uma postura mais próxima de “parceiro de negócios”, e cargos ligados à atuação digital das organizações e à tecnologia também são muito procurados. Um item requisitado em quase todas as posições indicadas no estudo é o nível avançado em inglês, além de experiência.

Qual o impacto desse cenário para os trabalhadores?

Após visualizar quais são as perspectivas do mercado de trabalho para o ano de 2018, é preciso entender o que o mercado passou a buscar nos trabalhadores que se candidatam a uma vaga nesse contexto.

Como já é de se esperar, em tempos de crise, as empresas ficam mais criteriosas no recrutamento de novos candidatos e passam a buscar por colaboradores que sejam peças-chave de potencialização dos resultados.

Com quadros enxutos e mercado retraído, isso significa que o colaborador contratado apresentará um diferencial se conseguir realizar seu trabalho de forma versátil, contribuindo com áreas relacionadas à sua e que, possivelmente, estejam sofrendo com a redução do quadro.

Sabemos que esse contexto em que há o aumento da pressão e da quantidade de responsabilidades atrelada ao risco iminente de demissões pode impactar negativamente no desempenho dos trabalhadores. Por isso, também é preciso cuidado para saber lidar com os desafios do cenário e não deixar que a ansiedade seja um fator que comprometa sua produtividade.

Como se preparar para o mercado de trabalho em 2018?

Como já dissemos, para se manter relevante para o mercado, é preciso saber se adaptar aos novos cenários. Uma boa dica é ficar atento ao surgimento de modelos de negócios que possam exigir novas dinâmicas nas relações de trabalho para as quais você precisa se preparar.

É necessário que o profissional saiba desenvolver competências compatíveis com as novas expectativas do mercado e tenha muito dinamismo para acompanhar as mudanças constantes que o quadro instável impõe.

Vimos que as perspectivas para 2018 começaram mais animadoras do que no último ano, e essa pode ser sua chance de alcançar uma recolocação. Portanto, se você está na busca por novas chances no mercado de trabalho, é muito importante que, além de se capacitar para a posição que pretende alcançar, também encontre o melhor canal para te levar às melhores oportunidades.

Com a disputa cada vez maior, também é difícil filtrar a qualidade das informações fornecidas. Por isso, se está à procura de uma chance, fale conosco! Temos todo o suporte necessário para direcionar você às melhores oportunidades no mercado de trabalho no Brasil.

 

Deixar comentário