Você sabia que as referências profissionais fazem parte de uma das fases mais importantes de um processo seletivo? Pois é! Pode parecer que esse tipo de avaliação já se tornou ultrapassado, mas acredite, os recrutadores dão muito valor para essa etapa. Inclusive, ela pode ajudar na definição ou exclusão de um candidato em uma possível vaga. De acordo com uma pesquisa de Verificação de Referência realizada pela SkillSurvey, 70% dos gestores entrevistados realizam a apuração de recomendações e acreditam ser um importante passo até a admissão.

Ao avançar na seleção, existem muitas chances de o empregador conversar com os profissionais que você passar como referência. A ideia dessa aproximação com os seus contatos é ter uma visão mais abrangente da sua personalidade e competências. Afinal, na entrevista tudo o que você fala é de acordo com o seu ponto de vista, certo? Já ao informar outras fontes, será possível confirmar e ampliar o conhecimento sobre você a partir de diferentes perspectivas. Por isso, é essencial ter uma lista de pessoas que trabalharam com você sempre atualizada.

E, se não sabe por onde começar, nós estamos aqui para te ajudar! Esperamos que as nossas dicas aumentem as suas chances de conseguir uma nova oportunidade.

Entenda a diferença entre referências profissionais e carta de recomendação

Muitos candidatos acabam confundindo esses dois conceitos. Portanto, antes de continuar, vamos entender essa diferença? Então, continue lendo!

A carta de recomendação é um documento, geralmente, emitido pelo profissional do RH ou gestor da sua área de atuação. Nele, é afirmado que você foi funcionário de determinada empresa e detalha as principais funções e qualificações. Vale lembrar que essa declaração só se torna efetiva com a validação do responsável pela organização!

Já as referências profissionais são contatos que você, candidato, determina e repassa ao empregador. O objetivo é que essa lista responda aos principais questionamentos, que costumam ser ligados ao comportamento e às competências. Nessa avaliação, é importante que as recomendações avaliem de forma positiva o seu desempenho em suas atribuições. Por isso, é necessário escolher pessoas articuladas e com quem você tenha tido uma relação bacana.

Agora que já entendemos as principais características desses dois critérios de avaliação, veja como as referências influenciam diretamente na seleção!

Quais os impactos das referências profissionais no processo seletivo?

Sabemos que, em um mercado tão competitivo, toda ajuda é bem-vinda quando estamos falando de novas oportunidades para sua carreira. E o ponto forte de apresentar as referências profissionais é passar credibilidade para os empregadores. Vamos ver um exemplo?

Ao procurar um determinado produto, o pontapé inicial para efetivar a compra são indicações e pontos positivos sobre ele, certo? Com as referências acontece do mesmo jeito! Quando o seu contato te recomendar, aumenta a probabilidade do empregador ter mais confiança para te contratar.

Trazer essa segurança pode destacar aspectos que irão te diferenciar e ajudar a ficar um passo à frente no processo seletivo. Afinal, 24% dos recrutadores concordam com a eficiência da verificação de recomendação para obter mais insights estratégicos em termos de contratação.

Para que essa etapa da seleção te favoreça, criar um plano estratégico para os seus contatos é a sua principal missão. Entenda como escolher as melhores recomendações no tópico a seguir!

Seja estratégico na escolha dos seus contatos

Enfim, chegou o momento de planejar e pensar em uma tática para definir suas referências. Veja as principais dicas que separamos:

Escolha contatos com quem tenha um bom relacionamento

As melhores opções para suas referências profissionais são pessoas que trabalharam e/ou trabalham com você e que confiam nas suas habilidades. Aqui, vale optar por ex-colegas e antigos chefes que, geralmente, são os mais valiosos para os recrutadores. Com esses contatos em mãos, você conseguirá ter diferentes opiniões, já que cada pessoa terá uma visão sobre você. Pense nisso!

Caso você tenha perdido ou não tenha contatos, temos uma dica: procure alguém que você admira e respeita, e que mesmo não tendo relações profissionais com você, contribuiu para uma parcela importante para o desenvolvimento da sua carreira.

Analise o perfil dos profissionais da sua lista

Ao pensar nas suas escolhas, é fundamental analisar a desenvoltura de cada pessoa. É muito importante que falem de forma clara e que sejam objetivas. Imagine só se o recrutador entra em contato e o profissional acaba não conseguindo transmitir o que realmente te ajudaria a avançar no processo? Para não ter esse tipo de imprevisto, pense bem em quem escolher, combinado?

Peça permissão para cada contato

Esse detalhe é muito valioso para que você tenha sucesso ao repassar suas referências profissionais. Pedir permissão irá garantir que elas estejam preparadas para a conversa com o empregador. Portanto, nossa dica é avisar com antecedência os nomes da lista que escolheu. Alinhe que está participando de um ou mais processos seletivos e peça, gentilmente, que a pessoa te ajude, caso o recrutador faça contato. Aproveite para informar ao empregador se as suas recomendações preferem contato via e-mail ou telefone, e o melhor dia e horário para o bate-papo acontecer.

Agradeça e mantenha o seu networking ativado

Lembre-se também de ter uma boa relação interpessoal com seus colegas e gestores de profissão. Isso sempre será um diferencial, seja qual for o momento da sua carreira! Quando falamos das referências, agradeça pela predisposição em te ajudar, mesmo que não consiga a vaga. Com esse simples gesto, além de manter uma postura educada, você mantém portas abertas para indicar os mesmos profissionais em outras oportunidades.  Além disso, mantenha o seu networking sempre em ação! Implementar esse costume na sua rotina, possivelmente, irá te ajudar a conquistar aliados como fontes confiáveis para repassar aos empregadores.

Afinal, o que os recrutadores vão investigar sobre você?

Existem muitos motivos que podem influenciar em quais tipos de perguntas os recrutadores podem fazer para os seus contatos. Mas alguns questionamentos estão entre os mais comuns – independentemente do cargo ou área de atuação. Veja as perguntas mais frequentes que separamos:

  • Quais habilidades do candidato mais chamou atenção para contratá-lo?
  • Qual cargo o profissional ocupou?
  • Quais foram as principais funções realizadas?
  • Como o candidato se comunicava?
  • Como você considera a desenvoltura do candidato na resolução de problemas?
  • Como era a integração de equipe do profissional?
  • Você considera que ele era produtivo?
  • Como o profissional lidava com metas e prazos?
  • O candidato cumpriu com regras morais e éticas?
  • No seu ponto de vista, qual o principal ponto forte dele?
  • E o ponto mais fraco?
  • Qual foi o motivo do desligamento do profissional?
  • Por que você o recomendaria?

Como vimos, na maioria das vezes, são questões que refletem no desempenho das atribuições do dia a dia e do clima organizacional da empresa. Agora que você já sabe quais possíveis questionamentos os empregadores farão, que tal repassar para as suas fontes? Assim, ficará muito mais fácil de elas se saírem bem nas respostas!

Atenção para esses detalhes!

Por fim, há alguns cuidados que você deve ter ao longo do processo seletivo e ao passar suas referências. Em primeiro lugar, evite mentir ou omitir informações relevantes na entrevista. É muito importante que você deixe claro todas as suas habilidades, competências e condições para não ter surpresas quando o recrutador entrar em contato com a sua lista. Anote aí: um comportamento inadequado poderá te prejudicar até mesmo em oportunidades futuras.

Certifique-se que você passou os dados corretos das suas recomendações, como e-mail ou telefone. Também fuja das “referências fantasmas” – ou seja, criar um contato que não existe apenas para fornecer ao recrutador. Isso, certamente, não te ajudará a criar credibilidade!

Mais um cuidado é evitar escolher profissionais com quem você teve algum tipo de problema no ambiente corporativo. Sejam ex-colegas ou ex-gestores, opte sempre por aquelas pessoas que se lembrarão das suas principais qualidades e poderão ressaltar o seu valor como colaborador, combinado?

Agora que você já sabe a importância das referências profissionais para conquistar um emprego novo, que tal criar a sua lista de contatos de acordo com as nossas dicas? Aproveite e compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais e auxilie também os seus amigos!

Até a próxima!