Incluir o tema gestão de pessoas no planejamento estratégico da organização é um diferencial competitivo para qualquer empresa. É este olhar que irá considerar todas as transformações e cenários como influenciadores também no público interno e buscar condições para exercer  lideranças melhores que podem levar ao aperfeiçoamento de toda a equipe. Afinal, sabemos que os desafios da área evoluíram e, hoje, você, gestor de pessoas, tem um novo papel!

Além das atividades operacionais, outras responsabilidades para gerir os talentos surgiram. Ações pedagógicas, inclusivas, engajadas, inovadoras e de capacitação são só algumas das práticas capazes de unir os objetivos da empresa às expectativas dos profissionais.

Veja só como é um ciclo virtuoso! Com o seu trabalho visto de forma estratégica, você consegue implementar mais ações, as equipes tendem a ser mais empenhadas, realizadas e produtivas e, portanto, a performance da empresa evolui gradativamente.

Quer embarcar na gestão de pessoas com uma visão mais aprofundada para extrair melhores resultados? Então, continue a leitura, entenda as mudanças da disciplina e como ter uma postura mais ativa no RH!

Gestão de pessoas x Recursos Humanos

Como sabemos, a gestão de pessoas e Recursos Humanos são termos e contextos diferentes. Porém, sob o ponto de vista de gerir talentos, ambos podem se complementar. É nesse sentido que Mário Sérgio Cortella – professor, escritor e filósofo – destaca a importância de não denominar pessoas somente como “recursos”.

“Os profissionais de RH estão descobrindo que uma das medidas do conhecimento de uma organização é justamente a capacidade que a empresa tem de integrar as inteligências individuais em uma grande inteligência comum, o que só é possível se as pessoas se engajarem de modo voluntário na construção desse fenômeno e tiverem as condições para isso.”

Ou seja: o planejamento voltado para a estratégia da área de gestão de pessoas – dentro do departamento de Recursos Humanos – fortalece a valorização do desenvolvimento de talentos. Afinal, são eles que têm a capacidade de transformar um negócio!

Aproveite para assistir ao vídeo na íntegra do Cortella sobre interfaces da gestão e liderança:

Como essa evolução vem acontecendo?

O conceito de gestão de pessoas está sempre em movimento. Você, como gestor, já reparou isso, não é mesmo? Basta olhar para algumas décadas ou anos atrás e perceber essa mudança. Antigamente, os funcionários eram vistos apenas como um recurso de produção, na qual o capital e o trabalho eram o foco. Hoje, o lado mais humanista, as relações, a motivação, o reconhecimento e, principalmente, as pessoas são os pilares da atual administração. De mãos dadas com a tecnologia e informação, o gerenciamento de talentos tende a se aprofundar em um fluxo dinâmico. Inclusive, já são estudadas as melhores saídas para lidar com as transformações que não param de acontecer.

“Novos modelos de negócio estão surgindo e isso irá influenciar diretamente na estratégia da gestão de pessoas. É preciso se preparar e encontrar soluções inovadoras para acompanhar o mercado. Além disso, outras novidades estão chegando. Num futuro próximo, diferentes gerações vão trabalhar juntas, no mesmo ambiente. Os líderes precisam estar prontos para lidar com esse novo cenário”.


Wilma Dal Col, Diretora de Gestão Estratégica de Pessoas no ManpowerGroup Brasil

Aqui, fica claro que essas movimentações influenciam diretamente no mundo do trabalho e as formas de se relacionar de líderes e colaboradores. Hoje, já existem comportamentos que indicam novos perfis de profissionais e novas necessidades da área de Recursos Humanos: maior demanda por flexibilidade e autonomia por parte dos colaboradores; novos formatos de recrutamento e seleção que consideram muito além da formação e experiência do candidato; e desenvolvimento de pessoas com programas que respeitem suas expectativas individuais. Essas são só algumas das mudanças a serem atendidas e é importante que você esteja preparado para lidar com elas, auxiliando também os líderes da empresa a fazer o mesmo!

Muito mais do que contratar e demitir

Em um cenário no qual o departamento de RH deixou de ser responsável somente pelo recrutamento, seleção, admissão e desligamento de um funcionário, caminhamos para um setor muito mais determinante para os negócios e para contemplar ações que envolvem a motivação, o engajamento, o desenvolvimento, os processos de comunicação e outras práticas dentro da organização. “O novo gestor de pessoas precisa ser um maestro e conduzir o concerto”. Essa é uma das percepções que Cortella aponta sobre essa liderança.

“O gestor não é alguém que dirige, que leva adiante. É aquele que é capaz de conduzir a pluralidade de competências e habilidades e fazer com que isso eleve a missão que uma organização de qualquer natureza tenha”.


Mário Sérgio Cortella – Professor, escritor e filósofo

A ideia é adotar uma visão com foco na inclusão, comportamento e atividades dos colaboradores. Mesmo com os desafios da área, essa humanização deixa o trabalho com muito mais propósito, não acha?

Como tornar a sua gestão de pessoas muito mais ativa?

Quando pensamos na gestão de pessoas aplicada ao RH, temos caminhos para torná-la mais ativa e estratégica. O atual profissional que gerencia pessoas pode (e deve) implementar a cultura da empresa para cativar os colaboradores. Pensando nas melhores práticas para envolver os funcionários, separamos cinco métodos para sua gestão. Descubra quais são:

Engajamento: escute e inspire a sua equipe

Sabemos que uma boa liderança e medidas estratégicas na gestão de pessoas são essenciais. Essa espécie de “laço profissional” pode ser criado a partir de uma aproximação na comunicação e em atividades complementares. Para formar esse vínculo e tornar o clima mais inspirador, é importante fazer um trabalho diário: em pequenas tarefas do dia a dia, em reuniões, em feedbacks periódicos e produtivos, e na própria relação interpessoal baseada na empatia e no colaborativismo. A ideia é que esse tipo de postura se torne cada vez mais sólida dentro da sua organização. Assim, todos saem ganhando! Oferecer oportunidades e desafios também serão ótimos aliados para que os colaboradores se sintam parte do negócio. Pense nisso!

Treinamentos: crie oportunidades de conhecimentos

Com o intuito de aumentar a performance de resultados do grupo, coloque em prática oportunidades de aprendizado. Elas têm o poder de capacitar os profissionais com a reciclagem de conhecimentos, o aperfeiçoamento de competências e possibilidades de novas habilidades. De acordo com uma pesquisa realizada pela FNQ e Sebrae e divulgada pela Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, 72% dos gestores entrevistados afirmaram investir em capacitação por se preocupar com a preparação de seus funcionários. Ao traçar os treinamentos mais relevantes para sua equipe, você irá ajudar significativamente no desempenho do colaborador e no alcance de objetivos da sua empresa.

Benefícios: busque pilares motivacionais

Crie um plano motivacional para os seus funcionários! Existem alguns benefícios que a própria organização pode oferecer. Entre eles, os compulsórios, no qual costumam entrar mobilidade, refeição e saúde, por exemplo. Cabe também ao gestor de pessoas estimular os colaboradores com recompensas, premiações, lazer e outros, que podem ser financiadas pela empresa – parcial ou integralmente. Aqui, vale estudar o perfil da sua equipe e definir o que é mais atrativo. De acordo com os benefícios sociais, existem três etapas para o plano:

  • Exercício do cargo: seguro de vida, gratificações e outros.
  • Fora do cargo, mas relacionado à empresa: transporte, cantina, refeitório etc.
  • Fora da empresa: lazer, atividades sociais ou comunitárias, entre outros.

Inclusão social: contribua com a diversidade

A gestão de pessoas também tem o papel de desenvolver a inclusão social e a diversidade dentro da empresa. Contratar talentos independentemente de deficiências, classe social, características físicas ou orientação sexual é fator primordial tanto para os resultados da organização quanto para, de fato, contribuir para um mundo mais igualitário. Ter pessoas de diferentes etnias e histórias de vida dentro da sua organização trará visões e ideias variadas, o que vai resultar, no mínimo, em um trabalho muito mais autêntico, na melhoria do employer branding, na atração e retenção de talentos.

Fit cultural: implemente a cultura organizacional

Toda a cultura organizacional pode ser ministrada por você, gestor de pessoas, já que os princípios da companhia e dos profissionais estão diretamente ligados ao fit cultural. Esse recurso vem sendo muito utilizado no processo de contratação, já que a ideia é qualificar se um potencial candidato se encaixa nos propósitos da empresa, evitando possíveis falhas de expectativas e comportamentos. Neste sentido, definir a missão, a visão e os valores da organização é essencial para que os novos colaboradores os incorporem e também para lembrar a todos sobre essas diretrizes.

Viu só como algumas atitudes diferentes na sua rotina podem criar oportunidades cativantes para a equipe? Além de motivar, incentivar e engajar os profissionais – sejam líderes ou colaboradores -, o seu trabalho se tornará muito mais prazeroso! Que tal experimentar todas essas boas práticas na sua gestão de pessoas e conseguir efeitos surpreendentes para os funcionários, para a sua empresa, para a sua carreira e para o coletivo? Depois, conte para nós os resultados das suas iniciativas, combinado? Aproveite para compartilhar esse artigo em suas redes e motivar seus colegas de profissão!